A atualidade da pregação de João Batista - Lc. 3. 1-20

10:34 Rev. Giovani Zainotte 3 Comentarios


João Batista é considerado o último dos profetas no modelo do Antigo Testamento. Ou seja, o último com características bem diferentes, com particularidades e excentricidades. Um homem, na nossa visão, esquisito. Vivia no deserto, comia comidas estranhas se vestia como peles de animais, etc.



Deus deu a João um chamado muito profundo e muito perigoso. Ele teria que preparar o caminho para o Senhor. Sua mensagem tinha esse objetivo, fazer com que mentes e corações estivessem abertos para a mensagem de Jesus.

Sua mensagem tem algumas ênfases que nós precisamos retomar nos dias de hoje. Creio sinceramente que nos dias de hoje a Igreja vive um tempo semelhante aos dias de João, no sentido da chegada de Jesus. Porém essa chegada será diferente, tudo será diferente. Mas acredito que Deus deseja que a igreja trabalhe na mesma direção que trabalhou João Batista – preparando o caminho do Senhor! Estamos vivendo os últimos dias, Jesus está às portas para voltar e a mensagem de João é mais que atual nesse contexto. Algumas das ênfases da pregação de João:

1. A mensagem de João anunciava o julgamento – Lc. 3.9

João anunciava que em breve, viria julgamento. As obras, as atitudes, as posturas seriam pesadas na balança da justiça de Jesus.

A Igreja de hoje precisa retomar essa pregação, precisa anunciar que Jesus virá julgar vivos e mortos. O mundo vive como se tal fato fosse uma simples história. E infelizmente, até a igreja parece estar vivendo como se tal fato não fosse uma verdade inquestionável.

Mas ouçamos o que a Bíblia diz: "Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, assentar-se-á em seu trono na glória celestial. Todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará umas das outras como o pastor separa as ovelhas dos bodes. E colocará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda.” (Mt. 25. 31-33)

E vi um grande trono branco, e o que estava assentado sobre ele, de cuja presença fugiu a terra e o céu; e não se achou lugar para eles. E vi os mortos, grandes e pequenos, que estavam diante do trono, e abriram-se os livros; e abriu-se outro livro, que é o da vida; e os mortos foram julgados pelas coisas que estavam escritas nos livros, segundo as suas obras. E deu o mar os mortos que nele havia; e a morte e o inferno deram os mortos que neles havia; e foram julgados cada um segundo as suas obras. E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo; esta é a segunda morte. E aquele que não foi achado escrito no livro da vida foi lançado no lago de fogo.” (Ap. 20. 11-15)

2. A mensagem de João Batista tinha um apelo urgentíssimo à conversão – Lc. 3.10-14.

A necessidade de uma nova postura, de novas atitudes, de nova forma de pensar. Para João seguir a Cristo implicava em uma vida totalmente nova, onde práticas do passado devem ser abandonadas para que o novo de Deus seja manifesto.

3. A mensagem de João mostrava a necessidade do batismo – Lc. 3.3

Entendamos essa necessidade como um sinal ao mundo. Primeiro sinal da misericórdia de Deus, que sempre perdoa. Segundo como sinal de comprometimento.

O mundo hoje precisa desses que a igreja sinalize tais coisas. O mundo não pode ter medo da igreja, vendo-a como sendo um lugar onde são acusadas, julgadas. O mundo precisa olhar para a igreja como um lugar onde o amor, a graça, a misericórdia de Deus estão presentes como remédio para suas almas.

O outro sinal é de igual forma imprescindível. A igreja precisa mostrar seu comprometimento com o Reino de Deus. Jesus está cansado de multidões, Ele está buscando os discípulos. Gente que testemunha, que anuncia que tem compromisso com o Reino, que é estável.

4. A mensagem de João Batista anunciava aquele que há de vir – Lc. 3.16-17

Amados, a grande esperança da igreja do Senhor é a expectativa da volta de seu Senhor! A igreja existe em função dessa espera. Infelizmente nos dias de hoje essa pregação tem sido esquecida. Com um Evangelho imediatista, do aqui e do agora, estamos valorizando muito mais aquilo que podemos conquistar hoje. Mas a nossa maior vitória é o que Jesus nos está preparando!

Paulo disse em I Co. 15.19: “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.” A Igreja precisa novamente ansiar pela volta de Cristo. Penso que não temos essa necessidade tão forte em nossos corações por nos faltar intimidade com o Senhor. Quanto mais íntimos formos do Senhor, mais de Sua presença vamos querer. Paulo tinha tanta necessidade de Deus que dizia que o morrer era lucro. A igreja hoje precisa ter em seus lábios novamente a grande expressão de vitória: “Maranata” – ora vem Senhor Jesus!

Pr. Giovani Zainotte

3 comentários:

  1. Gostei muito, porém em alguns ponto do texto faltam palavras, onde, o leitor, pode ir à deriva na leitura. Por exemplo: A necessidade de uma nova postura, de novas atitudes, de nova forma de pensar. Para João seguir a Cristo implicava em uma vida totalmente nova, onde práticas do passado devem ser abandonadas para que o novo de Deus seja manifesto. "...onde práticas do passado devem ser abandonadas para que o "novo" de Deus..." O que é o "novo"?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Creio que seja a boa, nova e perfeita vontade de Deus que renova nossa mente e por consequencia nossa atitudes...

      Excluir
  2. Obrigado por seu comentário. Respondendo sua pergunta, o apóstolo Paulo diz-nos que: "De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida" Rm 6.4 O novo de Deus é exatamente essa novidade de vida que passamos a desfrutar quando adotamos posturas, atitudes e formas de pensar baseadas na Palavra de Deus.
    Forte abraço, fique na paz!

    ResponderExcluir

Postagem mais recente Início Postagem mais antiga